Sustentabilidade: Sacolas verdes nas lojas

A rede de Lojas Pompéia, que tem 63 unidades em todo o Estado, passou a ser a partir de ontem a primeira fast fashion do Brasil a usar sacolas em plástico verde, produzidas do etanol da cana de açúcar, 100% renovável, e certificadas pelo selo “I’m Green”. O plástico verde é feito de CO2 capturado da atmosfera na fotossíntese da cana-de-açúcar, contribuindo para redução de gases de efeito estufa e do aquecimento global. São 2,5 toneladas para cada tonelada de polietileno desde a origem da matéria-prima. O plástico verde é produzido pela Braskem no Polo Petroquímico de Triunfo e as sacolas são comercializadas pela Nobelpack.

Contêineres do lixo

Os contêineres para implantação da coleta mecanizada do lixo em Porto Alegre não são um primor do ponto de vista estético, o que é lamentável e também não deve ter agradado ao prefeito José Fortunatti. Já basta aquele caixão do camelódromo a enfeiar o Centro Histórico. Nada contra o êxito funcional das duas iniciativas, mas não custaria nada cuidar também da estética com design moderno.

Gerenciar projetos

Uma das carências hoje no Brasil com o boom das obras é o gerenciamento de projetos. Pois o Capítulo Sul do Project Management Institute vai realizar em parceria com o programa de pós-graduação da Faculdade de Administração da Pucrs um curso de extensão para estes profissionais, cujas aulas começam neste mês de agosto.

Microscópio Feevale

Universidade Feevale e sua empresa incubada Go.Business firmaram parceria para o uso do novo Microscópio Eletrônico de Varredura (MEV), que multiplica imagens de amostras orgânicas e inorgânicas por até 300 mil vezes em alta resolução. Trata-se de ferramenta poderosa para suas pesquisas, sobretudo para a nova linha de cosméticos com nanotecnologia a ser lançada em 2012.

Marca no Uruguai

A Muniz Martinez Branding foi contratada para criar o nome e a marca de uma das maiores fábricas de cimento e cal do Uruguai. É a Cielo Azul Alimentos e Cal, voltada para a exportação, que está em fase de finalização de sua fábrica.

Solista de orquestra aos 15 anos

A igreja de Santo Antônio do Partenon promoveu domingo à noite, ainda em comemoração ao Centenário, um concerto da Orquestra Câmara Fundarte, cujo destaque foi o solista de violino, William Osamu Toda Kisaki, um menino gênio com apenas 15 anos. Ele tocou Ludwig van Beethoven e Ottokar Novácek. William nasceu em Porto Alegre em 1996, quando também a orquestra iniciou suas atividades, parceria entre o Sesi e a Fundarte de Montenegro, para levar a música orquestral às populações da Capital e Interior gaúcho. Nestes 15 anos, ela realizou mais de 500 concertos em 130 cidades para um público de 260 mil pessoas. William começou seus estudos de violino aos três anos de idade e aos quatro já tocou no primeiro encontro de música de Santa Catarina.

Fonte: Jornal do Comércio

Esta entrada foi publicada em Notícias e marcada com a tag , , , , , , . Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*