São Paulo sedia C40 e centraliza discussões sobre o aquecimento global

São Paulo- Em meio aos esforços globais para enfrentar as mudanças climáticas e promover o crescimento sustentável, a capital de São Paulo sedia a edição 2011 da Rede C40 – Large Cities Climate Leadership Group -, entre 31 de maio e 03 de junho, no Sheraton WTC, com a participação de prefeitos e representantes das grandes metrópoles do planeta. Depois de ser realizada em Londres (2005), Nova York (2007) e Seul (2009), a quarta edição do evento acontece pela primeira vez em uma cidade do hemisfério sul. A candidatura de São Paulo a sede da próxima conferência faz parte da meta 173 da Agenda 2012.

Uma série de medidas voltadas ao desenvolvimento sustentável já adotadas em São Paulo garantiu à cidade a oportunidade de receber a próxima edição da C40. São iniciativas como a legislação que institui a Política Municipal para Mudanças Climáticas, aprovada em 2009, pioneira entre as cidades da América Latina, e projetos importantes como captura de gás nos aterros São João e Bandeirantes; expansão de áreas verdes; construção de ciclovias; implantação da inspeção veicular e criação de programa de substituição de combustíveis fósseis por renováveis na frota de ônibus municipais.

Criado em 2005 pelo ex-prefeito de Londres Ken Livingstone, a Rede C40 busca não somente discutir o problema do aquecimento global como também promover a cooperação internacional entre agentes públicos e privados em prol da redução dos gases causadores do efeito-estufa. O objetivo principal é ajudar prefeitos a criar ações efetivas de combate às mudanças climáticas.

Atualmente são 40 cidades participantes e 19 afiliadas, distribuídas nos seis continentes e conta, desde 2006, com o apoio da Fundação Bill Clinton, dirigida pelo ex-presidente norte-americano. A parceria garante, entre outras coisas, o desenvolvimento e a efetivação de projetos para o consumo de energia sustentável nas metrópoles.

Dezoito prefeitos até agora já confirmaram presença no encontro de São Paulo, incluindo Michael Bloomberg, de Nova York, atualmente o presidente do grupo de cidades participantes da C40, Maurício Macri, de Buenos Aires, Frank Jensen, de Copenhagen, Clever Moore, de Sidney e Eberhard van der Laan, de Amsterdã. Entre os chefes de governo de capitais brasileiras estão confirmados Eduardo Paes, do Rio de Janeiro, e Luciano Ducci, de Curitiba.

O evento será realizado no Sheraton São Paulo WTC Hotel e prevê a apresentação de três plenárias e 20 sessões. Alguns dos temas abordados vão incluir construção sustentável, transporte público com baixa emissão de gases, taxação de impostos “verdes”, entre outros. Paralelamente a C40, vários eventos serão realizados na cidade de São Paulo com o objetivo de conscientizar a população do engajamento político e social que o encontro propõe.

“Iremos aproveitar essa oportunidade para reafirmar nosso comprometimento com as estratégias e objetivos da C40. Somos conscientes do dever de contribuir para a disseminação dos ideais de sustentabilidade e levamos a sério esse compromisso. Estamos confiantes de que São Paulo fará a diferença nas discussões para a adoção de políticas públicas voltadas a esse tema e de que os cidadãos paulistanos terão papel fundamental nesse processo”, diz o prefeito Gilberto Kassab.

SP mais verde – A política de redução de emissões de gases não apenas melhora a qualidade do ar e da saúde da população como também permite à Prefeitura desenvolver projetos de melhoria de qualidade de vida sustentável na cidade. O município também se destaca como integrante do programa internacional CFCB – Carbon Finance Capacity Building -, que identifica a capacidade local de redução das emissões de gases estufa por meio do mercado de créditos de carbono e cujos primeiros resultados serão apresentados no encontro da C40.

Em 2007 e 2008, a Prefeitura de São Paulo realizou dois leilões de créditos de carbono capturados dos aterros sanitários São João, na Zona Leste, e Bandeirantes, na Zona Norte. Juntos, os leilões renderam à municipalidade R$ 71 milhões, que estão sendo investidos em projetos ambientais nas áreas próximas aos aterros, beneficiando diretamente os moradores locais.

Além dos leilões, um ambicioso programa de plantio de árvores em todas as regiões da cidade vem contribuindo para a absorção de carbono e a redução do efeito-estufa. Desde 2005, o programa da prefeitura cultivou mais de 500 mil árvores. Um outro projeto, também destinado a aumentar as áreas verdes paulistanas, deverá aumentar para 100 o número de parques municipais até o ano que vem, totalizando uma área de 50 milhões de metros quadrados.

Estes e outros projetos contribuem para tornar São Paulo uma cidade mais verde, e fazendo com que o município seja o endereço certo para um evento como a C40. Em todas as cidades onde já ocorreu a reunião, iniciativas de redução da emissão de gases ganharam o apoio da população local e se tornaram exemplos para ser exportado.

Em Nova York, sede do segundo evento em 2007, a participação do grupo Partnership for New York City, uma organização composta por 200 CEOs das maiores empresas da cidade engajadas em manter a posição da cidade de Nova York como centro global do comércio, cultura e inovação, destacou a importância do evento para o meio corporativo. Os nova-iorquinos também participaram ativamente ao firmar um documento com mais de 120 propostas para a melhoria da qualidade de vida na metrópole norte-americana.

Perfil-A Rede C40 de Grandes Cidades (C-40 Large Cities Climate Leadership Group) é uma organização que reúne, a cada dois anos, as maiores cidades do mundo para a discussão do papel dos governos locais no combate às mudanças climáticas. Surgiu com uma iniciativa do prefeito de Londres em 2005. Seu propósito é incentivar a cooperação internacional entre as grandes cidades, para reduzir as emissões de carbono, e promover ações entre as instituições privadas e governos nacionais a fim de reduzir os efeitos do aquecimento global.

Em 2006, foi estabelecida uma parceria com a Clinton Climate Initiative – CCI, fundação liderada pelo ex-presidente dos EUA, Bill Clinton. O Comitê Diretor da C40 é formado pelas cidades de São Paulo, Delhi, Berlim, Johanesburgo, Londres, Los Angeles, Nova York, Toronto e Tóquio. Esse grupo lidera as atividades da Rede e desenha a estratégia internacional da C40.

Em junho de 2008, com o apoio da cidade de São Paulo, o prefeito de Toronto, no Canadá, David Miller, foi nomeado diretor da C40, substituindo Ken Livingstone, ex-prefeito de Londres e um dos fundadores da C40. Em novembro do ano passado, também com o apoio da cidade, o prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, foi eleito o novo diretor do comitê.

Fonte: Revista Fator

Esta entrada foi publicada em Notícias e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*