Ministra do Meio Ambiente dá atenção a projetos florestais de MT

O comandante do Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso, coronel Alexandre Coronel, se reuniu esta semana com a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, em Brasília (DF), para discutir os projetos apresentados pela instituição ao Fundo Amazônia.

O primeiro projeto contempla a aquisição de duas aeronaves de asa fixa e duas de asa rotativa, um caminhão de abastecimento das aeronaves, dez caminhonetes com kits de combate, além de cursos de capacitação nas operações, compreende um valor de R$ 18.844 milhões. O segundo projeto considera a aquisição de mais dois helicópteros, um caminhão de abastecimento, implementação de mais uma base de aviação especializada, quatorze motos of road, equipamentos de comunicação, 35 caminhonetes e 14 caminhões com capacidade para quatro mil litros d’água, sete caminhões para transporte de material, 21 reboques de transporte de material e quatorze barcos infláveis com motor. Valor de R$ 61.322 milhões.

“A instituição espera possibilitar auxílio aos órgãos de proteção ambiental em Mato Grosso, com maior eficiência ao monitoramento, prevenção e combate aos incêndios florestais e queimadas’, explica o comandante. Com essas ações, também espera fortalecer o Centro Integrado Multiagências de Coordenação Operacional (Ciman), que faz parte de parceria do Governo do Estado com o Ministério do Meio Ambiente, por meio do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

De acordo com os integrantes do projeto, tenente-coronel Lázaro Nunes e o major Vladimir Zanca, a formatação do projeto em face às necessidades logísticas do Estado também atende e complementa a implantação efetiva do Programa Nacional de Redução do uso do Fogo nas Áreas Rurais e Florestais – Pronafogo. “O programa foi elaborado pelo Ministério do Meio Ambiente, em consonância com o Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento e Queimadas do Estado de Mato Grosso (PPCDQ), com isso, foi possível a elaboração visando contemplar as necessidades do Estado”, explicam.

recursos, da contratação e do monitoramento dos projetos e ações apoiados. O saldo dos recursos não utilizados até o final de cada exercício é transferido para o exercício seguinte em proveito do mesmo Fundo.

Fonte: Circuito MT

Esta entrada foi publicada em Notícias e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*