Meio ambiente

Dois decretos, que devem ser editados nos próximos dias pelo governo federal, vão desburocratizar a concessão para o prolongamento, duplicação e construção de rodovias.

Os empreendimentos não precisarão mais dos demorados e polêmicos estudos de impacto ambiental que, por falta de regras ou excesso delas, têm retardado a execução das obras e chegam até a inviabilizá-las.

Além da rigidez de procedimentos, as estradas, usinas hidrelétricas, aeroportos e outros bens de infraestrutura ainda ficam sujeitos à ação imobilista de grupos ecológicos e ativistas, muitos dos quais usam a questão ambiental apenas para satisfazer suas necessidades de ação, lucro e sustentação política.

Ao editar a desburocratização, a presidente Dilma Rousseff começará a abrir uma imensa caixa preta que muito tem retardado as obras necessárias ao desenvolvimento nacional.

Mas estas medidas devem ser encaradas apenas como o começo de um necessário processo de modernização de procedimentos e de compartilhamento de responsabilidades.

Há que se livrar a questão ambiental dos oportunistas que a utilizam para finalidades diferentes que as ecológicas e acabam à mercê dessa exposição, transformando-se em verdadeiros gigolôs ecológicos e, como tal, conquistam cargos eletivos, são nomeados para altos postos e ganham benesses que nada têm a ver com o meio ambiente.

Fonte: O diário

Esta entrada foi publicada em Notícias e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*