Greenpeace diz que vazamento de Fukushima é responsabilidade do governo japonês e da indústria nuclear

O terremoto seguido de tsunami que atingiu o Japão há quase um ano resultou em perdas de vidas, prejuízos de bilhões de dólares e também provocou uma reflexão sobre a utilização da energia nuclear, uma vez que colocou os japoneses sob a ameaça de uma contaminação em larga escala devido ao vazamento de material radioativo da usina de Fukushima.

Nesta semana, o Greenpeace divulgou o relatório “Lições de Fukushima”, no qual argumenta que a tragédia nuclear não foi provocada pelos desastres naturais, mas sim causada por falhas do governo japonês, de órgãos reguladores e da indústria nuclear.

“Podemos dizer que o terremoto seguido de tsunami ‘apertou o gatilho’ para o vazamento de Fukushima, mas os responsáveis na verdade pela crise nuclear foram as próprias autoridades japonesas que escolheram o lado econômico como prioridade máxima, acima até da segurança”, afirmou Jan Vande Putte, ativista do Greenpeace.

“Nosso relatório mostra como a energia nuclear é perigosa, e como os governos são velozes para aprovar novas instalações, mas lentos para modernizá-las e para proteger as pessoas de desastres. Isto não mudou desde Fukushima e é por isso que milhões ainda continuam expostos ao perigo nuclear”, explicou Putte.

O Greenpeace contratou três especialistas para escrever o “Lições de Fukushima”: David Boilley, físico nuclear do laboratório de radiação francês ACRO; David McNeill, correspondente no Japão para o ‘The Chronicle of Higher Education’ e outras publicações; e Arnie Gundersen, engenheiro nuclear da Fairewinds Associates. O relatório foi revisto por Helmut Hirsch, especialista em segurança nuclear.

“Lições de Fukushima” apresenta três importantes conclusões:

– As autoridade japonesas e os operadores de Fukushima estavam completamente enganados sobre os riscos de um sério acidente. Os reais perigos, apesar de conhecidos, foram ignorados.

– Mesmo com o Japão sendo considerado um dos países mais bem preparados do mundo para lidar com desastres, a realidade de uma grande tragédia nuclear provou ser bem pior do que qualquer planejamento previra. Planos de emergência e evacuação falharam ao não proteger as pessoas devidamente.

– Centenas de milhares de pessoas foram profundamente afetadas com as evacuações e ainda não puderam reconstruir suas vidas devido à falta de apoio e de compensações financeiras.

“O desastre era previsível, mas aconteceu por causa da velha filosofia de privilegiar o lucro em vez da segurança. As autoridades já estão inclusive religando reatores sem terem aprendido nada com Fukushima. As pessoas vão novamente pagar o preço dos erros do governo”, afirmou Kazue Suzuki, ativista do Greenpeace.

Continue lendo em Instituto Carbono Brasil

Esta entrada foi publicada em Notícias e marcada com a tag , , , , , , , , , , , . Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*