Estudo inédito à população dos Himalaias confirma tese do aquecimento global

O estudo foi publicado hoje pela Royal Society na revista Biology Letters. Os investigadores entrevistaram 250 pessoas que vivem em dez vilas do parque nacional de Singalia, no estado de Bengale, na Índia, e em oito vilas do distrito de Ilam, no Nepal.

Nos últimos dez anos, estas 250 pessoas foram questionadas sobre 18 indicadores possíveis de alterações climáticas.

Três quartos das pessoas interrogadas afirmam que agora faz mais calor do que há 10 anos e dois terços asseguram que as monções de verão chegam mais cedo. Perto de metade dos inquiridos pensa que há agora menos neve nas montanhas e 70 por cento considera que os cursos de água estão mais fracos.

Também metade das pessoas entende que algumas espécies de plantas nascem mais cedo do que antes e que surgiram mosquitos em aldeias onde nunca tinham existido anteriormente.

Estas observações corroboram os estudos científicos sobre a temperatura, sobre a precipitação e sobre as espécies nos Himalaias e noutras regiões. No entanto, não há confirmação de que as monções ocorram mais cedo, segundo este inquérito.

Fonte: Jornal de Notícias

Esta entrada foi publicada em Notícias e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*