Diretor da ONU revela que terá proposta para emissões até o final do ano

O diretor do órgão das Nações Unidas que supervisiona a aviação civil disse na sexta-feira que sua agência ainda planeja ter uma proposta sobre medidas para combater as emissões da aviação até o final de 2012, mesmo que críticos incitem uma mudança mais rápida.

“Leio a imprensa como ninguém. Escuto todas as críticas, inclusiva as que têm sido declaradas por alguns sobre a lentidão”, afirmou o secretário-geral Raymond Benjamin à Reuters em uma entrevista, marcando sua recondução a um mandato de três anos na direção da Organização da Aviação Civil Internacional (OACI).

“Você tem que entender que a OACI é uma organização internacional com a adesão de 191 países, e é preciso achar um consenso.”

A OACI, criada em 1944, estabelece o que descreve como objetivos estratégicos para o setor aéreo, focando em questões de segurança e ambientais.

Ela foi colocada sob os holofotes globais depois que a União Europeia propôs novas regras controversas para as emissões de carbono da aviação, forçando a OACI a acelerar sua caçada por “medidas de mercado” que poderiam ser uma alternativa para as propostas da UE.

As regras da UE preveem que todas as linhas aéreas que usam os aeroportos do bloco devem pagar para um programa de créditos carbono, atiçando as ameaças de uma guerra comercial internacional com o potencial para prejudicar o tráfego aéreo mundial.

Mais de vinte países, incluindo os Estados Unidos e a China, se opõem, e sugeriram medidas de retaliação, que poderiam incluir a restrição das linhas aéreas nacionais de participar do esquema da UE, cortar as negociações com as companhias aéreas europeias sobre novas rotas e impor taxas sobre as linhas aéreas da UE.

Benjamin disse que o conselho da OACI está considerando quatro medidas de mercado não especificadas, e duas outras foram eliminadas. O conselho será convidado neste mês a endossar essas quatro opções e identificar os próximos passos, com uma proposta final para o fim do ano.

Se tudo correr conforme o planejado, a próxima assembleia geral da OACI aprovará as novas diretrizes quando se encontrar, no segundo trimestre de 2013.

Um porta-voz da OACI afirmou em dezembro que as opções básicas sob consideração são alguma forma de comércio de emissões, impostos com base em combustíveis de carbono, taxas sobre passageiros e cargas e a compensação de carbono.

Continue lendo em Instituto Carbono Brasil

Esta entrada foi publicada em Notícias e marcada com a tag , , , , , , . Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*