Desmates: “meia-dúzia não desanimará Estado”, diz Silval

O aumento do desmatamento em Mato Grosso, confirmado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), continua repercutindo no meio político estadual. Nesta quarta-feira, o governador Silval Barbosa -que está em Sinop com os ministros do Meio Ambiente, Izabella Teixeira e da Justiça, José Eduardo Cardozo para lançar novas ações ambientais- voltou a afirmar que aqueles que cometeram a irregularidade e forem identificados durante as fiscalizações serão “punidos exemplarmente”. As declarações foram dadas no programa “Bom dia Governador” de hoje.
“Tomamos todas as providências. Aqui no Estado produzimos com sustentabilidade”, acrescentou.

O governador garantiu que o Estado apertará o cinto contra os infratores. “Não vamos permitir este tipo de abuso: pessoas avançando na floresta ou cerrado achando que não vão ser punidas. É um equívoco muito grande. Todas as áreas que identificarmos daqueles que cometeram a irregularidade vamos punir exemplarmente”, falou.

Entre os meses de março e abril o desmatamento atingiu uma área de 593 quilômetros quadrados na Amazônia brasileira. Deste total, 480 quilômetros quadrados ocorreram somente em Mato Grosso, resultado que deixou o Estado por mais uma vez na liderança do ranking de destruição da floresta neste período. O número também equivale a 80% de tudo aquilo que se derrubou no país.

Em março, a área de mata desmatada no território mato-grossense alcançou 74,7 quilômetros quadrados. Entretanto, em abril o desmatamento praticamente “explodiu” no Estado. 405,6 quilômetros quadrados da floresta foram derrubados, conforme identificou o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. Segundo o Executivo estadual, há na unidade federada 265 fiscais atuando no acompanhamento de toda gestão ambiental.

“Não é meia dúzia de pessoas ou mais que tentam avançar cometendo este crime ambiental que vai desanimar o Estado ou o governador de fazer a vigilância e punição nestes que cometeram ilícito”, afirmou ainda Silval Barbosa.

Nesta quarta-feira, a ministra Isabela Teixeira percorre Mato Grosso acompanhado do ministro da Justiça, José Eduardo Cardoso, além de representantes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Renováveis. A comitiva já chegou a Sinop, cidade pólo da região Norte e escolhida para “sediar” a base da operação contra os desmatamentos.

“De 2003 a 2010 diminuímos 93% do desmate ilegal e estamos fazendo sacrifício para zerar o desmate ilegal em Mato Grosso”, afirmou Silval.

Deter

Conforme Só Notícias já informou, ao considerar um maior intervalo, o Deter constatou evolução de 43% no desmatamento da Amazônia em Mato Grosso. O período analisado vai de agosto a abril. Entre 1º de agosto de 2009 a 30 de abril de 2010 a área destruída era de 505 quilômetros quadrados. Por outro lado, entre 1º de agosto de 2010 a 30 de abril de 2011 evoluiu para 730 quilômetros quadrados.
De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, em Mato Grosso 62% dos municípios mantiveram o compromisso em reduzir o desmatamento e o aumento aconteceu em região específica que será acompanhada de perto pelo gabinete de crise instalado para “sufocar” o desmatamento na Amazônia.
Na relação dos 22 municípios que mais desmataram neste ano em Mato Grosso o Deter elencou: Alto Boa Vista (67,63km2), Nova Ubiratã (85,91), Bom Jesus do Araguaia (79,03), Cláudia (45,61), Santa Carmem (40,61), Porto dos Gaúchos (31,44), Peixoto de Azevedo (30,61), Marcelândia (23,15), Aripuanã (20,12), Feliz Natal (19,45), Tapurah (17,22), Nova Mutum (15,92).
Também compõem a lista Colniza (15,47 km2), Nova Bandeirantes (13,87), Juara (12,25), Vila Bela da Santíssima Trindade (12,17), Apiacás (12,07), Nova Lacerda (12,05), Paranaíta (11,64), Confresa (10,68), Nova Maringá (9,08) e Ribeirão Cascalheira (8,48).

Fonte: Só Notícias

Esta entrada foi publicada em Notícias e marcada com a tag , , , , . Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*