Água na central de Fukushima com radiação 10 mil vezes superior ao normal

Três especialistas que quinta-feira trabalhavam no reactor 3 da central de Fukushima foram afectados por níveis de radiação 10 mil vezes superiores ao normal através do contacto com água radioactiva.
Dois dos três trabalhadores foram transportados para uma clínica especial situada em Chiba, cidade a sul de Tóquio, devido a queimaduras graves, avança o diário El Mundo.

Os trabalhadores entraram em contacto com a água enquanto tentavam reparar cabos de alimentação para restabelecer a refrigeração do rector 3 da central nuclear.

A operadora Tepco referiu que os trabalhadores foram afectados pelo contacto com água que continha elevados níveis de radiação, pois nenhum deles estaria a usar botas especiais de protecção.

Um porta-voz da empresa frisou que «é prematuro tirar conclusões» sobre a origem da contaminação da água, embora admita que «não se pode descartar» que haja danos nas barras de combustível do reactor 3.

O primeiro-ministro japonês, Naoto Kan, abordou publicamente a situação no Japão duas semanas depois do desastre que assolou o país.

Naoto Kan sublinhou a evolução da central de Fukushima é «imprevisível», apesar dos esforços por parte do Governo para estabilizar a refrigeração dos reactores da central.

Após o caso dos trabalhadores, o Governo japonês alargou o raio de evacuação de 20 para 30 quilómetros em redor de Fukushima.

A Agência de Segurança Nuclear e Industrial do país instou a Tepco a reforçar a protecção em torno dos trabalhos a decorrer na central nuclear de Fukushima.

As consequências do sismo e tsunami que afectaram o Japão a 11 de Março já superaram as 10 mil mortes e as 17 mil pessoas desaparecidas, sendo que mais de 250 mil encontram-se desalojadas.

Fonte: Sol Sapo

Esta entrada foi publicada em Notícias e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*